FIQUE EM CASA COM... SUSANA FRANCISCO

Atualizado: Abr 13

"ISOLAMENTO SOCIAL É A MELHOR ATITUDE"



Como está a ser o seu dia à dia nesta fase?

- Nesta fase de isolamento, o meu dia a dia é passado maioritariamente em casa. Ainda assim, consigo manter todas as minhas rotinas. De manhã, há sempre treino. Em casa ou fora (num parque junto à minha casa). Normalmente o treino é composto por corrida e trabalho de condição física. Neste momento, sempre que treino na rua, fá-lo sozinha, acabaram-se os treinos com os colegas e com o treinador. Depois almoço e sigo para o trabalho, que neste momento estou a fazer na sala de estar. Estou a trabalhar a partir de casa. Mantenho a minha atividade de nutricionista, contactando com os sócios do ginásio, produzindo material para os manter informados e realizando tarefas que me são sugeridas pela minha equipa de trabalho. No final do dia, em alguns dias da semana, há um segundo treino. Neste caso, já não saio de casa, faço trabalho de condição física, flexibilidade e ioga. Depois segue-se o jantar, ligar à família e preparar o dia seguinte (treino e tarefas a realizar do trabalho). Em momentos livres, vejo séries, filmes, faço trabalhos manuais e "jardinagem".


Há quantos dias está isolada em casa?

- Estou isolada desde o dia 18 de março. Nos treinos, diminuí o contacto entre os colegas do grupo a partir do dia 14 de março, mas continuava a ir ao ginásio trabalhar. Só passei a trabalhar a partir de casa, no dia 18 de março.


Que lhe tem dado mais gosto fazer, que normalmente não tem tempo?

- Tenho brincado muito mais com o meu gato. As minhas plantas estão muito melhor cuidadas desde que estou mais tempo em casa. E os jogos de tabuleiro e jogos de cartas também são uma atividade que faço e que normalmente não costumo fazer.


Como acha que vai ser o mundo daqui para a frente?

- Diferente, espero que melhor. Penso que irá ser difícil ter novamente confiança no outro. Quando saio à rua, para correr ou para ir à mercearia, as pessoas olham para o chão, fogem umas das outras, têm medo umas das outras, já nem se houve "Bom dia..." nem que seja de longe. Estamos todos assustados, mas o pânico não ajuda a ultrapassarmos "o melhor possível" esta situação. Ainda há muitas incertezas em relação ao vírus e até à imunidade ao mesmo. Muitos dos cuidados de limpeza e desinfeção irão ser mantidos, certamente, mas muitos deles já faziam parte das boas práticas que por vezes, no dia a dia, são descuradas. Por outro lado, esta paragem mundial forçada está a dar vida ao planeta. Temos de encontrar um equilíbrio, um meio termo, entre o mundo agitado que tínhamos e o que temos atualmente. Não sei se iremos aprender ou mudar, mas espero que sim, espero que este vírus não nos afaste e que tenhamos um mundo mais humano.


O que tem tirado de positivo desta situação?

- Para além do tempo em casa, em família, e da proximidade virtual que aumentou entre familiares que não vivem comigo, o aspeto mais positivo e pessoal que tenho retirado desta situação é capacidade de adaptação e a gestão emocional que me senti obrigada a desenvolver. Esta situação está a ensinar-me a aceitar e a adaptar-me de acordo com as circunstâncias envolventes. Enquanto atleta gosto de ter tudo controlado, os treinos, os horários, as rotinas, os objetivos, a preparação, o que fazer para atingir os objetivos, quando fazer... E de repente, tudo muda. Qualquer plano que pudesse ter, ficou em stand-by, foi adiado e não sabemos se não terá de ser cancelado. Neste momento tudo é imprevisível. Esta situação, está a ensinar-me a viver de acordo com as circunstâncias, a planear menos, a aceitar que os planos podem e devem ser ajustáveis e que não podemos controlar tudo.


Que mensagem dá para os Profissionais que lutam por nós na linha da frente?

- Aos profissionais de saúde, neste momento e sempre, só se agradece. É quando a saúde é posta em causa que percebemos o quão valiosa é. Obrigada por toda a coragem, trabalho, empenho e dedicação com que nos cuidam e salvam. Para além do agradecimento, sinto que mais importante que as mensagem são as atitudes. E neste momento, a melhor atitude de agradecimento para com estes profissionais é o isolamento social e a nossa manutenção em casa.


E aos leitores?

- Aos leitores deixo uma mensagem de esperança, calma, força e compreensão. Estamos todos a viver esta situação, todos temos de cuidar de nós, dos que nos são próximos e isso irá ter consequência na população das nossas regiões e do país. Neste momento temos de fazer tudo o que pudermos para ajudar a travar esta pandemia e para isso só precisamos ficar em casa. Vamos aproveitar este tempo para crescer, ficar mais fortes, sábios e prontos para desfrutar dos tempos bonitos que virão após esta situação.


#vamostodosficarbem

11 visualizações

+351 917 777 418

  • White Facebook Icon

Segue-nos

Bairro Filomena, N° 7 B - 2530-806 Vimeiro