FIQUE EM CASA COM... SARA PINHO

"FAZ-ME MUITA FALTA A ROTINA DO BASQUETEBOL"

O que é que a pandemia alterou social e familiarmente na tua vida?

-Sem dúvida que o que a pandemia alterou mais na minha vida social foi ao nível do basquetebol. Custa-me muito não ter aquela rotina de treinos durante a semana e jogos ao fim de semana, já era uma coisa tão normal para mim que é tão estranho quando não acontece. Familiarmente, agora passo muito mais tempo com a minha mãe e irmãos, mas sinto muita falta daqueles almoços de família em casa da minha avó.

Que mais te preocupa olhando ao futuro? - Definitivamente o que me preocupa mais acerca do futuro é mesmo o facto de não saber quando tudo vai voltar à normalidade ou se vai voltar a haver a normalidade que todos conhecíamos.

O que sentes mais saudades atualmente? - Como já disse anteriormente, a rotina do basquetebol faz-me muita falta e o que sinto mais saudades é sem dúvida isso mesmo, desde os treinos até aos jogos, sem excluir como é óbvio os momentos em equipa.

De que forma achas que o basquetebol sairá afetado com o coronavirus?

- Penso que o coronavírus vai afetar muito o basquetebol a nível financeiro e mesmo a nível pessoal de cada atleta. Uma pausa de tanto tempo afeta a evolução do próprio jogador e mesmo do trabalho que foi feito até tudo ter parado. 


O basquetebol tem uma importância muito grande na tua vida? - O basquetebol tem uma enorme importância na minha vida. É a partir do mesmo que me consigo distrair de todas as minhas responsabilidades escolares e foi a partir deste que conheci uma grande parte das pessoas que considero mais importantes na minha vida (para além da família claro).

Que sacrifícios és capaz de fazer por esta modalidade? - Todos os sacrifícios do mundo. Acho que toda a gente tem de abdicar de coisas para conseguir ter três/quatro treinos por semana e ainda ter dois/três jogos ao fim de semana. No meu caso, abdico muitas vezes de estudar para ir aos treinos e jogos e de passar mais tempo com a minha família aos fins de semana. 

O sonho que gostavas de alcançar no basquetebol?

Para ser sincera nunca tive assim nenhum sonho. É claro que, como toda a gente, gostaria de conquistar um título nacional, mas não é algo que sonhe desesperadamente. 


Infelizmente a Gala da Física foi cancelada, mas estavas nomeada para Atleta do Ano... que significado é que essa distinção tem para ti?

- Fiquei mesmo muito feliz com essa distinção. Sabe muito bem quando o nosso trabalho é valorizado, principalmente porque dou 100% em tudo o que faço. Não estava à espera de ganhar o prémio, mas só o simples facto de ter estado nomeada deixa-me radiante.


Que palavra deixas aos nossos leitores? - Continuem a apoiar esta modalidade fantástica que é o basquetebol e, para quem não tem esse hábito, devia sem dúvida fazê-lo, não se vão arrepender. 


130 visualizações0 comentário

+351 917 777 418

  • White Facebook Icon

Segue-nos

Bairro Filomena, N° 7 B - 2530-806 Vimeiro