DOMENIK MARTINHO: "OS MEUS PRIMEIROS OBJETIVOS SÃO CHEGAR ÀS LIGAS PROFISSIONAIS"

Em entrevista exclusiva à Revista Amor à Camisola, o jovem técnico fala da experiência de trabalhar com Rui Narciso, dos seus objetivos enquanto treinador e muito mais.


Como correu a experiência com o Mister Rui Narciso no Amora?

- Foi uma experiência curta devido à pandemia do Covid-19, mas com um balanço muito positivo. Fui muito bem recebido pelo Mister Rui, que é um ser humano extraordinário e que desde o início me fez sentir como se já pertencesse aquela equipa técnica há muitos anos.  É uma ligação para continuar? - Sim, por mim continuarei a pertencer à equipa técnica do Mister Rui Narciso.  Já tem projetos para o futuro? - Como se costuma dizer "o segredo é a alma do negócio" e neste mundo do futebol o segredo vale ouro, portanto, por enquanto, vou manter em segredo o meu futuro. Teve oportunidade na sua ainda curta carreira de ter trabalhado com escalões de formação e seniores. Quais as principais diferenças em termos de metodologia de treino? - Existem inúmeras diferenças, não serei capaz de enumerar todas, contudo a maior diferença é o compromisso dos atletas. Nos escalões de formação é muito mais difícil os jogadores assumirem um compromisso e através disso afectam, inevitavelmente, a metodologia de treino, porque muitas vezes não vão treinar e não avisam o treinador, ou seja, os treinos são planeados para um certo número de jogadores, com objetivos específicos e no treino aparecem menos 5 jogadores, depois cabe ao treinador alterar todo o seu treino "em cima do joelho" e desta forma não se consegue ter uma metodologia organizada e planeada com antecedência. Nos escalões de formação tentei dar sempre mais ênfase à táctica, ou seja, ao posicionamento e dinâmicas tanto defensivas como ofensivas. Na formação existe muito o estilo de jogo "bate a bola na frente". Este estilo de jogo a curto prazo, tem resultado, pois uma equipa com extremos rápidos, consegue facilmente marcar golo, contudo, a médio longo prazo, os jogadores irão sentir muita dificuldade se jogarem num campeonato de portugal, porque não têm noção tática. Neste último ano, ao trabalhar com seniores, senti que existia falta de noção tática por parte de alguns jogadores e deve-se, muito provavelmente, ao que foi acima referido. No escalão de seniores, trabalha-se mais a parte da concentração dos jogadores, ou seja, dinâmicas ofensivas e defensivas dos adversários, onde podemos causar mais "danos" no adversário e esquemas táticos. Neste escalão, existe uma exigência superior de observação e análise para se atingir o objetivo que é ganhar. Com quais prefere trabalhar? - Prefiro trabalhar com seniores. Sei que ainda sou jovem e parece um pouco estranho, mas a minha personalidade identifica-se mais com uma equipa sénior. Quais são os seus objetivos enquanto treinador? - Os meus primeiros objetivos são chegar às ligas profissionais, após isso terei que redefinir objetivos.


É licenciado em treino desportivo e continua a formar-se enquanto treinador. Que nível ambiciona atingir? - Eu, por mim mesmo, sou muito ambicioso e tenho o objetivo de ser treinador UEFA PRO (nível 4). Costumo dizer várias vezes que não tenho sonhos, mas sim objetivos porque sonhar todos sonham mas trabalhar para atingir os objetivos nem todos o fazem, e é esse pequeno (grande) pormenor que faz toda a diferença. Por vezes é difícil, mas quando se vislumbra o futuro após todo esse sacrifício, dá mais força para continuar a trabalhar para conquistar o que se quer. Tento sempre seguir a seguinte frase "Quem dorme, sonha. Quem trabalha, conquista". Que comentário lhe merece o facto de alguns treinadores de futebol exercerem o cargo sem a devida formação exigida? - Eu, pessoalmente, acho errado isso acontecer, porque quem não é médico também não pode exercer essa profissão. O desporto sempre foi subvalorizado e estes acontecimentos, contribuem cada vez mais para que isso aconteça. Exemplificando, existe alguma coisa no futebol, quem vai comentar? Um advogado, um político, um .... , vão todos, excepto o profissional de desporto. Isto está errado. Se isto acontece é normal que depois no meio futebolístico, venham aparecer situações como as de treinadores a treinar sem o curso exigido, porque (a meu ver) existe um desrespeito pelo desporto e são as próprias entidades a provocarem essas situações, porque permitem que isso aconteça. Como Homem do meio futebolístico, como olha para a reestruturação dos quadros competitivos no futebol nacional? - A reestruturação dos quadros competitivos vai ser benéfica, pois teremos 3 ligas profissionais em Portugal. Acima de tudo irá ser benéfico para os atletas e treinadores, porque existirá um ordenado base mínimo fixo e um contrato profissional, o que garantirá a segurança financeira de muitos atletas e treinadores. Deste modo, os jogadores e treinadores estão salvaguardados de qualquer situação que ocorra. À margem do futebol, é Professor de Ed. Física. Pretende fazer uma carreira no ensino? - O ser professor de Educação Física faz parte do meu plano de reserva, ou seja, encaro o ensino como uma segurança. O foco principal sempre foi o de ser treinador de futebol, mas imaginemos que eu não consigo chegar a profissional? O que irei fazer? E é neste momento que entra a profissão de professor de Educação Física, pois desta forma salvaguardo-me financeiramente e consigo ter uma vida estável.


Texto: Duarte Nuno Gomes

Fotos: Direitos Reservados


476 visualizações

+351 917 777 418

  • White Facebook Icon

Segue-nos

Bairro Filomena, N° 7 B - 2530-806 Vimeiro